sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Onde passas...


Quando cada dia se te apresenta, em torno das atividades a que o dever te vincula, aparecem as tarefas com as quais não contavas.
Geralmente são pequenos encargos que a vida te propõe em nome de Deus.
É o amigo desesperado, a mulher vergastada pelo sofrimento, o desconhecido em dificuldade, o doente esquecido ou a criança, sem rumo, a te pedirem apoio e consolação.
Não passes indiferentes, diante da dor.
Cede um minuto do tempo de que disponhas ou algo do que possuis para diminuir o frio da penúria e a febre da aflição.
Uma frase iluminada de amor e qualquer migalha de socorro na bênção da compreensão operam prodígios.
Pronuncia as palavras que libertem os corações encarcerados na angústia, tece um véu de esperança obre as feridas ocultas, improvisa algum reconforto para os que carregam conflitos e lágrimas, alivia os que choram e façam sorrir, de algum modo, aqueles que transitam pelos caminhos empedrados da solidão.
O tempo é uma estrada que todos somos compelidos a percorrer.
Segue plantando paz e semeando alegria.
Deus não nos pede o impossível.
Tanto quanto nos sucede, onde estamos, a vida na Terra te solicita, onde passes, esse ou aquele toque de amor a lembrar-te que o reino da felicidade começa de ti.
Com todos aqueles aos quais possas doar algo do que tenhas ou algo do que sejas, para que as tuas dádivas não se percam na esterilidade da incompreensão, não esqueças-te de envolve-las em teu amor na embalagem da paciência.

Livro Palavras Do Coração (Francisco Cândido Xavier)

Obrigada pela visita!

*

Um comentário:

Criando Artes Carla disse...

Olá Iv,
Me desculpe pela falta. Mudei umas coisas no meu blog e não sei porque seu blog não apareceu mais na minha lateral. Agora está tudo bem.
Linda a gola eu aqui já estou nos acessórios para verão.
Beijos, Carla.